Antonio Rodrigues Belon


19/02/2018


 

EXCEÇÃO?

Na página 226, de MAGIA E TÉCNICA, ARTE E POLÍTICA, no volume 1, das Obras Escolhidas, de Walter Benjamin, na edição de 1994, da editora Brasiliense, na tradução de Sérgio Paulo Rouanet, no texto “Sobre o conceito de história”, no item 8, está escrito: “A tradição dos oprimidos nos ensina que o ‘estado de exceção’ em que vivemos é na verdade a regra geral. Precisamos construir um conceito de história que corresponda a essa verdade.”

Escrito por Belon às 15h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O PSTU E O MACHISMO

 

O PSTU-Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, o nosso partido, existe na sociedade capitalista, de classes. No Brasil, um pais ocupante de um lugar específico no sistema mundial. Uma nação localizada em relações internacionais, obviamente.

 A ideologia machista e patriarcal deita raízes profundas neste solo. Impregna os homens (que oprimem) e as mulheres (que são oprimidas). A opressão é exercida, vivida e percebida como “natural”.

O partido não é uma seita. Não acredita em ideias sem bases materiais. Sabe não ser possível renovar a existência humana sob o capitalismo.

O PSTU reflete a sociedade. Nós somos iguais às outras pessoas.

Mas um diferencial existe: um programa revolucionário de mudança. De mudança dessa sociedade pela luta. Estudar, agir, fazer a revolução.

A questão das opressões entra nesta concepção.

O Partido, homens e mulheres, encampa essa luta. Uma luta em dois aspectos: o externo, geral; e, interno. Interno no partido; interno na vida, no ser, de cada militante.

Escrito por Belon às 15h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Histórico