Antonio Rodrigues Belon


11/08/2018


 

ANTEPASSADOS, PASSADOS E FUTUROS

 

Na escola eu ficava sempre muito intrigado: D. Pedro I pai de D. Pedro II. Um jovem de barbas pretas pai de um velhinho de barbas brancas.

Hoje, eu começo a entender: meu pai morreu antes dos 64 anos. Sou mais velho que ele, agora.

Sou pai de meu pai? Não: antes sou filho de meus filhos.

E bom mesmo é abraçar os meus netos. João Antonio e Artur confirmam as minhas esperanças e lutas sempre renovadas.  

Escrito por Belon às 21h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/08/2018


DIALÉTICA E MATÉRIA

 

A unidade do materialismo e da dialética é o ponto.

Um segundo ponto: a historicidade está inscrita no real. Isto ainda é idealismo. Não é materialismo.

Impõe-se reescrever: a historicidade está inscrita na materialidade do real. A reescrita restritiva alarga a compreensão.  

O ser, constitutivamente, requer a matéria. A materialidade constitutiva daquilo que é – do ser – sintetiza os dois pontos.

O pensado e o pensável, as atividades e as objetivações, as formas espirituais e ideais brotam – feito sementes – aí. Lembrar Hegel.

Fundamentalmente, é isto. Resumidamente.

Escrito por Belon às 16h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

15/07/2018


Um dia chorei na barriga de um avião. Decolava do aeroporto de Buenos Aires – o Aeroporto Internacional de Buenos Aires-Ezeiza. Voltava cheio de saudades e encantos.

Minha mãe, já falecida, era argentina. Fiz uma associação emocional – não chore por mim argentina, a minha mãe. Não chore por mim Argentina, essa terra um pouco minha. E inteiramente minha pela sua classe trabalhadora e pelos meus irmãos trotskistas. Do ventre de minha mãe, Josefa Rodrigues Belon, ao ventre daquela aeronave, atmosfera argêntea.

Estas imagens me vieram à cabeça ouvindo uma cantora no programa do Faustão – coisa incrível.

Disse pra Cidinha:

- estou familiarizado com interpretações em mais acordo com minhas preferências.

A argentina não chora mais por mim; a Argentina nem sabe de mim; eu choro, mas também me entrego, de corpo e ser, a uma luta encarniçada pela revolução.

O fluir das canções é parte desta transição.  

 

https://www.youtube.com/watch?v=NgM3fK5XwyM

Escrito por Belon às 21h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/05/2018


68

 

(Nasci em 08 de maio de 1950, em Jales (SP); João Antonio, meu neto, nasceu em 08 de maio de 2008, em Três Lagoas (MS).)

A maioria dos seres humanos que nasceram e/ou morreram antes de mim, não viveu 68 anos.

A maioria de meus contemporâneos, isto é, dos seres humanos vivos atualmente, não viveu – e talvez não viva – 68 anos.

O futuro – o tempo dos que ainda vão nascer e morrer – ainda está em construção.

 

Escrito por Belon às 09h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

07/03/2018


A MULHER É CLASSE TRABALHADORA – A CLASSE TRABALHADORA É MULHER

 

Para anunciar o amanhã, literalmente, neste texto escrito aqui e agora, na tarde de 7 de, março é preciso falar limpidamente no 8 de março internacionalista. Isto significa considerar a solidariedade internacional na abordagem do tema, derrotando, de início, a solidão avassaladora e a desolação da mulher quando se percebe sozinha e sem fazer parte de uma realidade mundial, vastamente estendida onde houver um modo de ser humano.

As lutas das mulheres trabalhadoras funcionam aproximando e quebrando o isolamento. Estabelecem uma coesão revolucionária, emancipatória.

Combater o explorador e opressivo sistema capitalista é colocar no centro da vida a plenitude humana perdida nos elos da alienação, nos caminhos históricos da escravidão e do trabalho assalariado, repetidamente reformados em favor da acumulação capitalista, no sustento dos lucros.

Em 8 de março homens param na construção conjunta com as mulheres da humanidade comum surrupiada.

 

 

Escrito por Belon às 17h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

05/03/2018


PONTOS DE VISTA

 

A cirurgia é uma rotina para o cirurgião. A cirurgia é um momento singular na vida do paciente.  

Escrito por Belon às 14h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

19/02/2018


 

EXCEÇÃO?

Na página 226, de MAGIA E TÉCNICA, ARTE E POLÍTICA, no volume 1, das Obras Escolhidas, de Walter Benjamin, na edição de 1994, da editora Brasiliense, na tradução de Sérgio Paulo Rouanet, no texto “Sobre o conceito de história”, no item 8, está escrito: “A tradição dos oprimidos nos ensina que o ‘estado de exceção’ em que vivemos é na verdade a regra geral. Precisamos construir um conceito de história que corresponda a essa verdade.”

Escrito por Belon às 15h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O PSTU E O MACHISMO

 

O PSTU-Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, o nosso partido, existe na sociedade capitalista, de classes. No Brasil, um pais ocupante de um lugar específico no sistema mundial. Uma nação localizada em relações internacionais, obviamente.

 A ideologia machista e patriarcal deita raízes profundas neste solo. Impregna os homens (que oprimem) e as mulheres (que são oprimidas). A opressão é exercida, vivida e percebida como “natural”.

O partido não é uma seita. Não acredita em ideias sem bases materiais. Sabe não ser possível renovar a existência humana sob o capitalismo.

O PSTU reflete a sociedade. Nós somos iguais às outras pessoas.

Mas um diferencial existe: um programa revolucionário de mudança. De mudança dessa sociedade pela luta. Estudar, agir, fazer a revolução.

A questão das opressões entra nesta concepção.

O Partido, homens e mulheres, encampa essa luta. Uma luta em dois aspectos: o externo, geral; e, interno. Interno no partido; interno na vida, no ser, de cada militante.

Escrito por Belon às 15h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

15/02/2018


DAS DORES DO MUND

 

 

Ó meu gatinho,

Por que comeste

Logo o meu passarinho?!

Escrito por Belon às 19h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

20/01/2018


PRESENÇA NAS LUTAS

 

O 37º Congresso do ANDES-SN, será realizado em Salvador (BA), sob a organização da diretoria do ANDES-SN e da ADUNEB Seção Sindical, no período de 22 a 27 de janeiro de 2018, e seu tema central é: Em defesa da educação pública e dos direitos da classe trabalhadora: 100 anos da reforma universitária de Córdoba.

 

Estarei presente como Delegado da ADLESTE- seção sindical, sediada em Três Lagoas (MS), na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Amanhã chego em Salvador (BA).

Escrito por Belon às 10h38
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/01/2018


UM GOLEIRO, NA VANGUARDA

Estou muito triste. Morreu, em Jales, aos 93 anos, Odassi Guerzoni.

Enquanto (Clube Atlético Jalesense) ele era goleiro torci muito. Depois era um homem do comércio e da maçonaria. Portanto, nem pensávamos igual. Mas tínhamos uma amizade. Um afeto. Um respeito.

 

Choro ao saber da morte de Odassi. Um goleiro que jogava pra frente; na vanguarda. Na vanguarda dos seres humanos.

Escrito por Belon às 12h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

10/01/2018


O PAPEL HISTÓRICO E O SIGNIFICADO DO ESTADO

 

Passo a palavra a Lenine, em seu O Estado e a revolução (pp. 219-305), nas obras escolhidas, tomo 2, na segunda edição, da Alfa-Omega, de São Paulo, em 1988.

 

 

Encontra-se aqui expressa com toda a clareza a ideia básica do marxismo sobre a questão do papel histórico e do significado do Estado. O Estado é o produto e a manifestação do carácter inconciliável das contradições de classe. O Estado surge precisamente onde, quando e na medida em que as contradições de classe objectivamente não podem ser conciliadas. E inversamente: a existência do Estado prova que as contradições de classe são inconciliáveis.

Escrito por Belon às 18h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

03/01/2018


ABESTAMENTO EM CAPÍTULOS

FAZENDO, OU SE FAZENDO, DE BESTA, E VICE-VERSA (I)

Pago mil e trezentos reais por um par de tênis – a vendedora da loja me dá de brinde uma garrafa para portar água, com o logotipo e o nome da empresa.

FAZENDO, OU SE FAZENDO, DE BESTA, E VICE-VERSA (II)

Compro um fardo com dezoito latinhas de cerveja. Segundo o informe na prateleira do supermercado, pago quinze.

FAZENDO, OU SE FAZENDO, DE BESTA, E VICE-VERSA (III)

Vivendo no capitalismo...

 

Escrito por Belon às 19h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/12/2017


OS NERVOS DE MEU CORPO

 

 

Admiro muito os cancionistas (compositores, arranjadores, instrumentistas, cantores) brasileiros porque fazem tantas canções. Tudo onde (conterraneidade) e quando (contemporaneidade) vive Paulinho da Viola.

Escrito por Belon às 22h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

27/11/2017


O ENVELHECER

 

Criança, adolescente, jovem, adulto, tudo isto é muito banal, embora sempre intensamente dramático.

Envelhecer é outra coisa. Uma novidade permanentemente renovada na sucessão dos dias e dos anos.

 

Nunca tive esta idade antes. Envelheço. 

Escrito por Belon às 16h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Histórico